ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS E BIOQUÍMICAS DURANTE O ARMAZENAMENTO DE SEMENTES DE Tabebuia serratifolia

Main Article Content

Débora Gabriela Silva Silva Maria Laene Moreira de Carvalho Carvalho Marcela Carlota Nery Nery Luciana Magda de Oliveira Oliveira Carla Massimo Caldeira Caldeira

Abstract

A espécie Tabebuia serratifolia (ipê-amarelo) é utilizada para reflorestamento de áreas degradadas, além de possuir propriedades medicinais e madeireiras. Sua propagação é por sementes, as quais podem apresentar problemas de conservação, como alterações no seu potencial fisiológico ao longo do armazenamento. Para investigar a ocorrência dessas alterações fisiológicas e bioquímicas de sementes de ipê-amarelo, durante o armazenamento sob condições de câmara fria e ambiente, foram realizadas avaliações trimestrais da germinação, viabilidade, vigor, teor de água, de polifenóis e proteínas resistentes ao calor, em sementes armazenadas por doze meses. Para sementes armazenadas em câmara fria foram observados resultados superiores de germinação e vigor quando comparados com os obtidos na condição ambiente. Ocorreram decréscimos nos teores de polifenóis ao longo do armazenamento, já as proteínas resistentes ao calor mantiveram a mesma intensidade de bandas. Na condição ambiente, a germinação torna-se nula aos nove meses; enquanto que, em câmara fria, as sementes permanecem viáveis durante 12 meses de armazenamento.

Article Details

How to Cite
SILVA, Débora Gabriela Silva et al. ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS E BIOQUÍMICAS DURANTE O ARMAZENAMENTO DE SEMENTES DE Tabebuia serratifolia. CERNE, [S.l.], v. 17, n. 1, p. 1-7, apr. 2015. ISSN 2317-6342. Available at: <http://cerne.ufla.br/site/index.php/CERNE/article/view/6>. Date accessed: 21 sep. 2019.
Keywords
Ipê-amarelo, Handroanthus serratifolius, longevidade
Section
Article